PESQUISA

Empréstimo entre pessoas jurídicas é livre de juros: um contrato de amostra, consequências fiscais

Graças ao empréstimo sem juros, muitas empresastenha a oportunidade de resolver os problemas acumulados. Na transação pode participar tanto pessoas físicas e jurídicas. Perguntas com indivíduos quase não surgem. Mas para este último não são questões inúteis de tributação. No artigo, consideraremos os empréstimos sem juros entre pessoas jurídicas: como são emitidos, quais os riscos que isso acarreta, bem como as oportunidades de minimizá-los.

contrato de empréstimo sem juros

O conceito de

Desde o início, deve-se ter em mente quea transação deve ser extremamente cuidadosa. Se tudo for feito corretamente, as consequências fiscais podem ser evitadas. Consideremos um contrato de empréstimo sem juros do ponto de vista da legislação tributária. Afinal de contas, deste lado pode haver problemas.

Empréstimo sem juros, movendo-se para uma linguagem simples,significa emprestar dinheiro sem juros. Naturalmente, para o mutuário isso é um bom negócio. Afinal, os bancos nunca fornecerão esse serviço. Mas outros, tanto pessoas físicas quanto jurídicas, podem fazê-lo.

Recursos

Empréstimo sem juros entre pessoas jurídicasé um negócio bastante comum. É usado por empresas que estão em parceria ou relações amistosas. Existem até organizações especiais envolvidas na emissão de empréstimos. A transação deve ser acompanhada da conclusão do contrato, e pode ser unilateral e bilateral. Além disso, é permitido atrair outra parte, a fim de garantir o retorno dos fundos ao credor. Como tal, uma organização oficial pode ser admitida.

O prazo de emissão de um empréstimo é claramente indicado no contrato.bem como a quantidade. Ele deve ter certeza de autenticar. Apesar do fato de que há termos claramente prescritos de retorno, o mutuário pode sempre devolver o dinheiro antes do tempo prescrito.

É necessário perceber claramente que tal transação não épode ser regular, caso contrário não será possível evitar atenção especial e vigilância por parte das autoridades fiscais. O empréstimo sem juros entre pessoas jurídicas é emitido apenas para fins não comerciais. Caso contrário, está sujeito a tributação.

empréstimo sem juros

Se a organização freqüentemente for a tais transações, as inspeções podem chegar à conclusão de que, dessa maneira, estão tentando evitar pagar impostos e realizar atividades bancárias ilegais.

Empréstimo sem juros entre pessoas jurídicas: o que devo procurar?

Ao fazer um acordo, o credor deve ser especialmentecuidado. A primeira maneira com a qual você pode se proteger é estabelecer um termo claro quando o dinheiro deve ser devolvido, bem como determinar as conseqüências negativas se os fundos não forem dados. Quando o prazo para o pagamento da dívida vem, o mutuário é escrito uma carta de reclamação, o que lembra que ele está esperando por ele em caso de não pagamento. Não possuindo conhecimentos especiais, é melhor recorrer a um especialista para que o documento seja elaborado com competência.

Contrato de empréstimo sem juros deve necessariamentecontém o capítulo “Responsabilidade das partes”. Em seguida, o credor fornece uma garantia de devolução do dinheiro. Assim, deve descrever em detalhes o que o mutuário espera em caso de quebra de obrigações contratuais. Também deve haver uma penalidade para cada dia de atraso no pagamento.

Na verdade, para o credor, há muitas maneiras de se proteger. A responsabilidade pode incluir implicações financeiras para o devedor, multas e assim por diante.

No artigo, oferecemos uma amostra de como é um contrato de empréstimo sem juros entre pessoas jurídicas. Sua forma contém cláusulas gerais que são obrigatórias para este tipo de documento.

empréstimo sem juros entre pessoas jurídicas

Registro do contrato

Na conclusão do contrato, presume-se queas partes confiam umas nas outras. Deve-se afirmar que este não é um serviço financeiro e não implica lucro. Se isso não for feito, o credor terá que pagar impostos, pois, por padrão, a presença de interesse no documento é fornecida.

Capítulo 42 é dedicado a um empréstimo no Código Civil"Empréstimo e crédito". Segundo ele, o interesse é regido pelos termos do contrato. No entanto, para ser considerado um empréstimo sem juros, você deve indicar isso diretamente. Caso contrário, está implícito que o contrato envolve seu pagamento, que será calculado na taxa de refinanciamento.

Considere separadamente as leis fiscais relacionadas a esse problema.

empréstimo sem juros entre pessoas jurídicas

Imposto de renda

Em relação ao imposto de renda, de acordo com o códigoConsidera-se que o objeto é o lucro que a organização recebeu - o contribuinte. Sob ele se refere aos rendimentos que são reduzidos pela quantidade de despesas. As receitas podem ser provenientes da venda de bens e serviços, direitos de propriedade ou não operacionais. Ao mesmo tempo, as receitas recebidas sob contratos de empréstimo e crédito, ou para liquidar esses empréstimos, não devem ser levadas em conta.

Ao mesmo tempo, no código tributário sob a rendacompreender e benefícios econômicos, expressos em forma natural ou monetária, que é levado em conta quando possível e é definido nos capítulos em imposto de renda pessoal e imposto em lucro de organizações. Mas quando um contrato de empréstimo sem juros é celebrado entre pessoas jurídicas, a tributação - o que deveria ser - não foi estabelecida, uma vez que não há procedimento para determinar e avaliar o ganho material.

Segundo o Ministério das Finanças, o mutuário não temconsequências fiscais resultantes de um empréstimo sem juros. A prática de arbitragem confirma, por sua vez, que a organização que emite um empréstimo sem juros também não recebe receita tributável.

contrato de empréstimo sem juros entre o formulário de entidades jurídicas

IVA

O Código Tributário estabelece claramente as transações sujeitas a esse tipo de imposto. Entre eles estão:

  • a venda de bens e serviços (assim como obras);
  • transferi-los para necessidades próprias (as despesas não são dedutíveis);
  • trabalhos de construção e instalação para as suas necessidades;
  • importação de mercadorias para a alfândega russa.

Além disso, está previsto um artigo ondeoperações que não estão sujeitas a este imposto foram estabelecidas. A lista também inclui um empréstimo sem juros emitido em dinheiro. Acontece que esta operação não está sujeita a IVA.

Autoridades fiscais

Parece que quase todo mundo está do lado das organizações. No entanto, na administração fiscal, um empréstimo sem juros ainda levanta questões.

O departamento distingue empréstimos entre terceirosorganizações e interdependentes. Em um caso, o risco surge da parte mutuante devido ao fato de que o custo de pagamento de juros sobre o contrato de empréstimo, onde o dinheiro é direcionado para o empréstimo, não é reconhecido. No outro, o credor também está em risco por causa do surgimento de receita não operacional.

acordo de empréstimo sem juros entre pessoas jurídicas de tributação

As autoridades fiscais constroem sua atitude para livre de jurosempréstimos, com base em várias cartas do Ministério da Fazenda, segundo as quais as disposições do Código Tributário, contidas na cláusula 1, artigo 105.3, são aplicadas às transações. Afirma que as receitas são determinadas com base nos juros que poderiam ter sido recebidos se o contrato fosse celebrado entre organizações terceiras, e não interdependente.

Ao mesmo tempo, a prática judicial no momentoambíguo na sua opinião sobre esta questão. Muitas vezes, as decisões são tomadas em favor dos credores. Mas mesmo que o tribunal, por vezes, concorde com as autoridades fiscais sobre a necessidade de calcular o rendimento do lado do crédito, o método deste cálculo permanece incerto.

Conclusão

Existe um empréstimo sem juros entre pessoas jurídicas?

É possível um empréstimo sem juros entrepor pessoas? Sim, isso é possível. O credor está isento do pagamento de impostos? Talvez Mas o que é indiscutível é que tais transações devem ser realizadas sob a supervisão de especialistas, a fim de evitar erros irritantes que levem à necessidade de pagar renda virtual.

Para que isso seja devidamente compostoO contrato no qual é feito um empréstimo sem juros entre pessoas jurídicas, os lançamentos contábeis nessa situação também devem ser competentes e profissionais.

  • Avaliação: