PESQUISA

Como a evolução do universo

Existem duas visões sobre como o materialo mundo. As religiões atribuem a Deus o papel de liderança na ordem mundial. Em particular, a Bíblia fala de alguns dias, para os quais Deus criou a luz primeiro, depois a água, depois o firmamento, seguido pelos seres vivos - até o homem. Agora as igrejas afirmam que “seis dias” é um termo metafórico, onde o dia não é igual ao dia, mas dura muito mais tempo. Outra visão radicalmente oposta da origem do mundo material visível é científica. A evolução do Universo, de acordo com a pesquisa de cientistas, começou com o Big Bang (também designado pelo termo Big Bang), que ocorreu de 10 a 15 bilhões de anos atrás.

O que aconteceu antes de tudo que existia? A astronomia moderna acredita que era uma esfera comprimida ao seu tamanho mínimo, dentro da qual partículas elementares livres se moviam sob a influência das mais altas temperaturas e pressão. Todo o material, que agora está preenchendo o vasto cosmo, foi comprimido dentro do limite de zero em tamanho, a partir do qual a origem e evolução do Universo começou. Ainda não está claro o que causou o Big Bang. No entanto, essa explosão levou à expansão do Universo e esse processo continua até hoje. O que isso significa? Que a mesma quantidade de partículas de material consome cada vez mais espaço ao longo do tempo.

O mundo material vai se expandir para sempre, ouAlgum dia, seu crescimento no volume diminuirá, cessará completamente, assim como observamos quando uma granada explode? Talvez, depois disso, a evolução do Universo cesse e seja substituída pelo estágio de "dobramento", estreitando-se até o ponto original. Ainda não estamos prontos para responder a essa pergunta com certeza. Mas a imagem do mundo, criada por cientistas, já pode descrever fases sucessivas no crescimento e transformação da matéria. A primeira era dos hadrons durou apenas um milionésimo de segundo, mas durante esse tempo ocorreu o processo de aniquilação de barões e bárions, prótons e neurônios foram formados.

O segundo e terceiro estágios da evolução do universo -lépton e fóton - também durou apenas alguns segundos. No final da segunda era, o mar de neutrinos se formou, e a era dos fótons terminou com a separação da matéria da antimatéria (que foi devido à aniquilação de pósitrons e elétrons). O universo está se expandindo, o que levou a uma diminuição na densidade de energia de partículas e fótons. O estágio de fótons foi substituído por um estágio estelar, que continua até hoje. No entanto, a formação de estrelas, galáxias e grupos de galáxias ocorreu (e de fato ocorre) de forma desigual.

Milhões de anos após o Big Bang, atéas partículas mais simples se transformavam em átomos - predominantemente hidrogênio e hélio (esses átomos são o principal componente do Universo), os átomos unidos em moléculas, que entravam nos compostos e formavam cristais, substâncias e rochas minerais. Durante a era estelar, que neste estágio termina a evolução do Universo, galáxias, sistemas estelares, planetas foram formados, a vida em nossa Terra se originou. É possível dizer que os “fogos de artifício épicos” acabaram, e estamos de pé em brasas em meio à fumaça dispersa?

Os cientistas concluíram que a evolução do universoacontecendo. As turbulências da gigantesca acumulação de hidrogênio achatam a substância, transformando essas acumulações em redemoinhos. Assim galáxias esféricas, elípticas e achatadas nascem (dependendo da velocidade de rotação do colossal - cem mil anos-luz - giro). O último tipo de galáxias pertence ao nosso - a Via Láctea. Dentro das galáxias, sob a pressão de cachos de hidrogênio, formam-se estrelas. Eles também passam por longos estágios de evolução: de supernovas incandescentes a “gigantes vermelhas”, “anãs brancas” e buracos negros. Os mesmos processos ocorrem com o nosso Sol, enquanto o Cosmos continua a se expandir.

  • Avaliação: