PESQUISA

Causas

Agora é difícil para uma pessoa imaginar que em algum momentoa vida da sociedade foi organizada sem o Estado e suas várias instituições políticas. É neles que todo o poder do poder está concentrado. No entanto, a história mostra que no início da civilização o estado foi precedido pela sociedade como uma comunidade de pessoas. Assim, os problemas de uma horda primitiva de caçadores foram decididos por um único líder, isto é, um líder. Juntamente com o advento das tribos, um conselho de anciãos surgiu, em que várias disputas foram resolvidas, os principais casos foram discutidos. Para regular as relações humanas nesse período, havia costumes, tradições e normas existentes o suficiente.

Ou seja, o estado não apareceu imediatamente.Foi o resultado de um desenvolvimento histórico gradual. Os antigos filósofos da origem do estado viam na complicação das formas da comunidade humana. Eles consideraram esse processo bastante natural. Aristóteles, por exemplo, propôs a seguinte hipótese, explicando as razões do surgimento do estado. No princípio as pessoas unidas em famílias. Quando eles estavam indo para vários, descobriu-se uma aldeia. E somente no último estágio desse processo o estado aparece como uma forma de comunidade humana, na qual os cidadãos já estão sujeitos ao poder da lei. Ao mesmo tempo, um dispositivo político aparece.

Na Idade Média, a origem e essênciaos estados começaram a ser vistos do ponto de vista religioso. A população foi informada de que esta é a instituição do poder na terra, estabelecida pelo próprio Deus. Até mesmo o catolicismo moderno concorda com as visões de Tomás de Aquino sobre as causas do surgimento do Estado. Ele lembrou às pessoas que o poder está conectado com as leis do divino e pediu que ela obedecesse.

Com teorias teocráticas estão intimamente relacionadasético. Eles vêem o estado como a personificação de uma lei comum a todos, uma idéia moral. Hegel acreditava que é o mais alto estágio no qual a unidade é restaurada, destruída antes pela luta entre o indivíduo e os grupos.

Nos tempos modernos, T. Hobbes, J.-J.Rousseau apresentou uma teoria do tratado, segundo a qual as pessoas que viviam sem estado decidiram criá-la conscientemente (concluíram um tratado) para que todos tivessem os mesmos direitos e liberdades.

Apoiadores da teoria da conquista (F. Oppenheimer, L.Gumplovich) acreditam que eles muito realisticamente explicam esse fenômeno. Em sua opinião, estados e classes surgem como resultado da conquista de tribos uns pelos outros.

Caso contrário, este processo é considerado marxistateoria. Seus representantes veem as razões para o surgimento do Estado na necessidade de uma classe economicamente forte para ter sua própria organização política, a fim de suprimir os oponentes de classe. Ou seja, apareceu ao nível do desenvolvimento das forças de produção, quando a divisão do trabalho ocorreu, a propriedade privada surgiu e, consequentemente, a desigualdade de propriedade e divisão da sociedade em grupos opostos.

Há também tentativas de explicar as razõesemergência do estado como um fator psicológico. Apoiadores desta teoria - J. Burdo, M. Kovalevsky. Segundo ela, os líderes influenciaram a multidão que precisava de liderança, hipnose, carisma e assim criou o estado.

Na moderna ciência política reina sintéticaponto de vista sobre as causas e formas do surgimento do Estado. Leva em consideração vários fatores, em um complexo que influencia este processo. Isso é religioso e socioeconômico, moral, psicológico e militar. No entanto, a principal razão ainda é vista na evolução da atividade econômica das pessoas. Depois que a produtividade do trabalho aumentou, um produto em excesso apareceu, a sociedade tornou-se delaminada, dependendo da quantidade de propriedade. Para consolidar sua posição e proteger os valores materiais, as pessoas precisavam de regras, normas e estruturas especiais. Assim, na política, e apareceu as primeiras instituições de gestão, que nessa fase ainda se baseava não só e não tanto na lei como na força das armas.

  • Avaliação: