PESQUISA

A ciência como instituição social e um sistema de valores

Sem a sociedade e seus membros, muitoscomponentes da vida moderna, incluindo a ciência. Somente na sociedade de cientistas é criado um sistema de valores, normas e tradições, cuja história vem contando há mais de 2000 anos. A ciência como uma instituição social é a personificação das mais diversas inter-relações que surgem entre os membros da comunidade científica e outras pessoas. Eles sofreram várias mudanças durante diferentes períodos, pois a relação da sociedade com a ciência sempre foi mutável.

E a ciência em si como instituição socialsujeitos a alterações que dependem das condições de sua existência. Vamos pegar o número de cientistas. Se nas antigas escolas filosóficas gregas eles pudessem ser listados pelo nome, hoje este exército é composto por mais de cinco milhões de comunidades internacionais profissionalmente organizadas. Hoje, a ciência como um fenômeno social é uma poderosa esfera de produção de conhecimento, capaz de produzir uma revolução nas mentes. Possui uma base material poderosa e uma infra-estrutura especializada desenvolvida e canais de comunicação.

A ciência como instituição social vê seu objetivo ea nomeação na produção de conhecimento e sua disseminação na sociedade. Para fazer isso, os cientistas desenvolvem ferramentas de pesquisa, criam novas técnicas e juntam-se a novas pessoas interessadas em sua missão social.

A ciência moderna como esfera de cultura representaa esfera da atividade conjunta de associações criativas, dentro da qual não apenas especialistas altamente qualificados trabalham em algumas áreas especializadas separadas da atividade científica, mas também pessoas cujas atividades visam a auto-realização e o cumprimento de suas funções com o mais alto grau de dedicação. O trabalho de rotina nesta área é um complemento aos esforços criativos. Da vida do cientista constantemente exige a confirmação de suas qualificações, ele sujeita vários testes ao nível de seu profissionalismo. E a sociedade e o Estado, para os quais a ciência como instituição social é altamente valorizada, estimula suas atividades, aumenta a remuneração dos membros da comunidade científica, atribui-lhes diversos títulos, prêmios e diplomas.

A ciência como um fenômeno social originado emEuropa Ocidental, juntamente com a revolução industrial, que se tornou a razão para o surgimento das relações capitalistas. A divisão do trabalho tornou possível não só aumentar a economia, mas também separar a prática da teoria. E as organizações científicas começaram a se unir em uma esfera separada, atendendo às necessidades de melhorar o bem-estar público. E neste grande papel desempenhado pela educação como um método de familiarizar a geração mais jovem com realizações científicas.

A ciência como a esfera da cultura é a suao elemento mais importante que difere de outras atividades em que seu resultado não é predeterminado com antecedência. O conhecimento é extraído, não fornecido na forma final, como, por exemplo, ocorre no art. No entanto, não se pode opor os elementos remanescentes da cultura à ciência, porque o conhecimento objetivo, como a arte, tem uma generalização lógica dos processos que estão ocorrendo.

Sinais da ciência como instituição social emo mundo de hoje está sujeito a uma institucionalização ainda maior. Eles permeiam a produção, a esfera política, interagem de perto com as atividades administrativas do indivíduo. Antes do desenvolvimento da economia e dos setores técnicos, a esfera científica há muito se tornou uma indústria líder, muitas vezes predeterminando e prevendo o curso dos acontecimentos. Enfrenta um grande problema de humanização, que deve transformar descobertas científicas para a humanidade.

  • Avaliação: